Acesso Rápido

Deformidades da Coluna Vertebral

A coluna vertebral é fundamental para o equilíbrio do corpo humano. Entretanto, todos nós conhecemos pessoas de diversas faixas etárias que reclamam de curvaturas excessivas na coluna, com causas diversas, e também de dores. Mas quais são mesmo as deformidades da coluna vertebral? Existem muitas dúvidas sobre o que é normal e quando devemos procurar o ortopedista. 

Embora seja uma entidade puramente esquelética, do ponto de vista prático, afirma: Quando nos referimos à coluna vertebral, na realidade estamos também nos referindo ao seu conteúdo (medula espinal e raízes nervosas) e aos seus anexos, que são músculos, nervos e vasos com ela relacionados. As curvaturas chamadas Lordose Cervical, Cifose Torácica e Lordose Lombar, são curvas fisiológicas, quando dentro dos padrões e valores normais (exemplo: Cifose torácica = 20 a 40 graus, Lordose lombar = 31 a 79 graus). Estes valores podem ser mensurados através de radiografias panorâmicas, solicitadas quando necessárias, e sob orientação médica”.

De acordo com o Dr. Rodrigo Perroni, existem três tipos básicos de deformidades na coluna vertebral: Escoliose, Cifose e Lordose, cujas ocorrências podem ser simples ou combinadas. As deformidades são classificadas de acordo com a magnitude das mesmas, localização, direção e etiologia. 

“A Lordose e a Cifose são curvas na maioria das vezes consideradas normais, porém se tornam patológicas dependendo da localização e da magnitude da curva”, informa o médico. Com relação à Escoliose, ela pode ser definida como uma deformidade da coluna vertebral complexa nos três planos do corpo (frontal, sagital e transverso), ou seja, é uma deformidade tridimensional. O principal componente da Escoliose é o desvio anormal no plano frontal (desvio lateral), que deve ser superior a 10 graus, de acordo com a Scoliosis Research Society (Sociedade científica que estuda as deformidades, além de pesquisa clínica e promove educação continuada). 

Já com relação à Escoliose Idiopática, ele esclarece que é a deformidade estruturada mais comum, correspondendo a aproximadamente 80% dos casos dentre as Escolioses. Apresenta uma prevalência de 1,9% nas curvas abaixo de 10 graus e 0,5% nas curvas de 20 ou mais graus. A prevalência da Escoliose é maior em mulheres, mas a literatura não explica a causa. 

Já a Cifose Torácica aumentada, destaca: É caracterizada por uma angulação acima da classificação normal (entre 20 e 40 graus). Pode ser simplesmente uma Cifose Postural, que é não patológica ou ser uma Cifose de Scheuermann (patológica). A Cifose de Scheuermann ou juvenil, explica, é um aumento da Cifose Torácica com características especiais. Scheuermann em 1920, mostrou pela primeira vez as alterações radiológicas da deformidade. As características dos corpos vertebrais secundários à Cifose de Scheuermann são: Vértebras em cunha, Nódulos de Schmorl e as placas terminais irregulares. Em 20% a 30% dos pacientes observa-se uma discreta escoliose (10° a 20°), com ou sem rotação vertebral. 

De acordo com o Dr. Rodrigo Perroni, as causas dos desvios da coluna vertebral têm origem à herança genética poligênica. São alterações estruturais e não estão relacionados a má postura ou ao fato de carregar excesso de peso. O diagnóstico da gravidade das curvas é feito pela avaliação clínica, exame físico e avaliação radiográfica especifica. 

As deformidades da coluna, dependendo da magnitude, além da repercussão estética, podem causar outros problemas. “A Escoliose Idiopática, que na maioria dos casos aparece e se desenvolve durante a adolescência, implica em grande repercussão estética. Dependendo da magnitude da curva, os pacientes podem desenvolver problemas como os pulmonares, entre outros”, destaca. 

 Avanços no tratamento –  Em relação à correção de deformidades, o uso da monitorização eletrofisiológica pré operatória tornou a cirurgia mais segura. Grandes avanços nas técnicas cirúrgicas vieram permitir significativa correção, sobretudo nas Escolioses e Cifoses, com o restabelecimento do equilíbrio da coluna. 

A equipe de cirurgia da coluna do Hospital Vila da Serra, vem realizando nos últimos 5 anos, cirurgias de coluna para correção de deformidades, além de casos de fraturas e doenças degenerativas. 

Leia também:
  • Climatério: Uma oportunidade para construir uma nova vida

    Com o aumento da expectativa de vida, a maioria das mulheres viverá mais de um terço de suas vidas após a menopausa. Portanto, o conhecimento e a abordagem correta das mudanças que ocorrem na meia-idade têm se tornado cada vez mais importantes. A ...

  • A obesidade

    Devido a grande prevalência da morbidade, a obesidade tornou-se um tema muito discutido nos meios científico e social, repleto de dificuldades e mitos. As informações abaixo tem como objetivo tentar mostrar a obesidade no âmbito médico, sua importânc...

  • Equipe de cirurgia plástica cada vez mais presente no Hospital Vila da Serra

    A excelência na prestação dos serviços hospitalares é um dos principais responsáveis pela integração cada vez maior da equipe de cirurgia plástica ao Vila da Serra. Presente no hospital desde 2000, o grupo é hoje composto pelo Dr. Roberto Zimmer Pr...

Compromisso e Qualidade

Certificação internacional

Vídeo Institucional

Veja nosso vídeo institucional

HVS no Facebook

Curta nossa página no facebook

Qualidade, confiabilidade e excelência tornam o Hospital Vila da Serra Acreditado Nível 3 ONA e Certificado Internacionalmente pelo Qmentum Internacional.

Selo Acreditado

Saiba mais sobre as certificações do
Hospital Vila da Serra.

Tratamento humanizado, aliado à dedicação e atenção aos seus pacientes fazem do Hospital Vila da Serra um centro de referência no atendimento à mulher, à criança e à toda a família.


Alameda Oscar Niemeyer, 499 - Bairro Vila da Serra
CEP 34006-056 - Nova Lima - MG - Tel.: (31) 3228-8100
2018 © Hospital Vila da Serra. Todos os direitos reservados.
Antônio Eugênio Motta Ferrari
Diretor Técnico
CRM MG12794
Desenvolvido por SPARTA INTERATIVA - Agência de Marketing 360