Dia Mundial Sem Tabaco

Data da publicação: 31/05/2017 Autor: hollo

A Organização Mundial de Saúde já realizou uma campanha com o tema Interferência da Indústria do Tabaco, com objetivo de expor e combater tentativas que são consideradas como “descaradas e cada vez mais agressivas”, de minar os esforços no controle da substância.

As ações para acabar com as campanhas de advertências sanitárias que ilustram as embalagens de cigarro, foi uma das críticas abordadas. As empresas, de acordo com a OMS, têm utilizado como argumento tratados bilaterais de investimentos, têm processado países e ainda alegam que as imagens e os dizeres atingem o direito de utilizar marcas legalmente registradas.

Mais um problema citado pela entidade fala das tentativas também, por parte da indústria do tabaco, de acabar com as leis que proíbem o fumo em locais públicos fechados e que limitam a publicidade de produtos derivados da substância.

A OMS afirma que o fumo é uma das principais causas preveníveis de morte em todo o mundo. Entretanto, o cenário traçado pelo órgão é de epidemia global, já que o tabaco mata quase 6 milhões de pessoas todos os anos e, entre esses, mais de 600 mil são fumantes passivos.

“A menos que tomemos uma atitude, o tabaco vai matar mais de 8 milhões de pessoas (ao ano) até 2030, sendo mais de 80% em países de baixa e média renda”, ressaltou a OMS, em nota.

Para 2016, a OMS definiu como tema as embalagens padronizadas de cigarros e correlatos para ser trabalhado internacionalmente.

large-home-cartaz

Receba Conteúdo exclusivo do Hospital Vila da Serra em seu e-mail.