Acesso Rápido

Doenças arteriais obstrutiva periféricas

Com o envelhecimento da população brasileira, teremos num futuro próximo, um número cada vez maior de pessoas acometidas por doenças arteriais obstrutivas periféricas (DAOPs), comprometedoras do bom funcionamento do corpo. A afirmação é feita pelo coordenador da equipe de Cirurgia Vascular do Hospital Vila da Serra, Dr. Antônio Quintella. O médico explica que as artérias são responsáveis por levar sangue com oxigênio e demais nutrientes para o corpo e que as DAOPs ocorrem em torno de 3 a 10% da população. ‘’Esse número aumenta com a idade. Para se ter uma ideia, nas pessoas acima de 70 anos, ela acomete de 15 a 20%”, informa.

De acordo com Quintella, a doença é geralmente causada pelo acúmulo de placas de gorduras e ocorre principalmente nos membros inferiores, o que leva a uma redução do fluxo sanguíneo. “Por causa disso, a pessoa pode apresentar dor nos membros inferiores ao caminhar, principalmente na panturrilha, sendo que o alívio vem com um pequeno descanso”, diz. Nas fases iniciais, isso ocorre apenas após grandes esforços, ou seja, quando a pessoa caminha longas distâncias ou sobe uma ladeira, por exemplo. Porém, com o avançar da doença, o mal estar surge com mais frequencia, após a conclusão de percursos cada vez menores. “A fase mais grave relaciona-se com presença de dor, mesmo em repouso, ou o surgimento de feridas, principalmente nos pés. É exatamente nesse momento que existe o maior risco de amputações” enfatiza o especialista.

Além disso, as DAOPs estão fortemente associadas a outras enfermidades, como as doenças coronarianas, as carotídeas e a insuficiência renal. Portanto, torna-se fundamental a identificação precoce das DAOPs e, quando necessário, o tratamento de outras doenças relacionadas, como o infarto e o AVC (derrame).

Dentre os principais fatores de risco para o surgimento da doença, estão o hábito de fumar, a diabetes, a hipertensão e a dislipidemia (presença de níveis elevados ou anormais de gorduras – lipídios e lipoproteínas – no sangue, incluindo o colesterol e os triglicérides).

Quanto aos sintomas, Dr. Antônio Quintella chama a atenção para o fato de que as doenças arteriais obstrutivas periféricas podem não apresentar sintomas em sua fase inicial. “A proporção de pacientes assintomáticos para sintomáticos e de três para um, ou seja, a cada três pessoas com a doença sem sintomas temos uma com sintomas”, informa. De acordo com ele, é muito importante o diagnóstico precoce para que se inicie um tratamento clínico adequado.

TRATAMENTO

O tratamento inicial e clínico baseia-se numa dieta adequada e hábitos saudáveis, como caminhadas regulares, e o cuidado com ospés (uso de calçados confortáveis e prevenção contra machucados). O coordenador também ressalta que o uso de medicamentos antiagregantes como o AAS e outros remédios que tendem a aumentar o fluxo sanguíneo são benéficos. “É fundamental controlar os fatores de risco, ou seja, parar de fumar, controlar o diabetes, a hipertensão, o colesterol e o triglicérides alto”, acrescenta. Nos casos mais graves, pode ser necessária a intervenção com o intuito de aumentar o fluxo sanguíneo no membro afetado.

Até poucos anos atrás, todas as intervenções eram realizadas através de cirurgias convencionais. Hoje, na maior parte das vezes, o tratamento pode ser feito através de técnicas endovasculares, que são menos invasivas, proporcionam menor tempo de hospitalização e recuperação mais rápida. “Geralmente elas são realizadas através de punção das artérias no nível da virilha de onde é realizada a revascularização do sistema arterial”, explica Dr. Antônio Quintella.

As pessoas que possuem os sintomas descritos devem procurar um especialista para adequada avaliação e acompanhamento.

O Hospital Vila da Serra possui toda a infraestrutura e com corpo clínico qualificado para diagnóstico, acompanhamento e tratamento dessa condição. A avaliação inicial pode ser realizada nos consultórios da cirurgia vascular. A marcação deve ser feita através do telefone: (31) 3228-8300.

 

 

 

 

 

Leia também:
  • 100% dos participantes aprovam o estágio em ginecologia e obstetrícia

    Novos estagiários chegam um dia após a quarta turma concluir o curso Dentro do seu desafio de contribuir para a formação de médicos, o Hospital Vila da Serra encerra sua quarta turma de acadêmicos de medicina. A equipe contou com oito participantes ...

  • 18 de Outubro Dia do Médico

    Hoje, 18/10, é dedicado ao Dia do Médico e para comemorar essa data especial, o Hospital Vila da Serra, realiza uma homenagem a estes profissionais que dedicam suas vidas para que possamos viver muitos anos de vida, com mais saúde. Parabéns a todos o...

  • Dia Internacional do Riso – Vamos rir mais?

      Você se lembra da última vez que riu? Sem sequer nos darmos conta, rimos várias vezes ao dia. Pode ser por causa de uma piada, uma música, uma situação engraçada, embaraçosa ou simplesmente para cumprimentar o vizinho. A verdade é que difíc...

Compromisso e Qualidade

Certificação internacional

Vídeo Institucional

Veja nosso vídeo institucional

HVS no Facebook

Curta nossa página no facebook

Qualidade, confiabilidade e excelência tornam o Hospital Vila da Serra Acreditado Nível 3 ONA e Certificado Internacionalmente pelo Qmentum Internacional.

Selo Acreditado

Saiba mais sobre as certificações do
Hospital Vila da Serra.

Tratamento humanizado, aliado à dedicação e atenção aos seus pacientes fazem do Hospital Vila da Serra um centro de referência no atendimento à mulher, à criança e à toda a família.


Alameda Oscar Niemeyer, 499 - Bairro Vila da Serra
CEP 34006-056 - Nova Lima - MG - Tel.: (31) 3228-8100
2018 © Hospital Vila da Serra. Todos os direitos reservados.
Antônio Eugênio Motta Ferrari
Diretor Técnico
CRM MG12794
Desenvolvido por SPARTA INTERATIVA - Agência de Marketing 360