Acesso Rápido

E Você? O que você faz, quando ninguém te vê fazendo?

Existem evidências, há aproximadamente 160 anos, de que a higienização das mãos reduz a incidência de infecções adquiridas em organizações de saúde.Em meados do século XIX, Dr. Semmelweiss obrigando os alunos de medicina a seguirem um rigoroso procedimento de higiene das mãos, reduziu drasticamente a mortalidade dos recém-nascidos no Hospital Geral de Viena. Como enfermeira-chefe do exército britânico durante a guerra da Criméia (1854 a 1856) Florence Nightingale constatou que a falta de higiene e as doenças matavam grande número de soldados hospitalizados por ferimentos. Suas reformas reduziram drasticamente a taxa de mortalidade no hospital militar.

Em 2005, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou a Aliança Mundial para a Segurança do Paciente e identificou seis áreas de atuação para direcionar as ações voltadas à Segurança do Paciente. São seis metas Internacionais de Segurança que visam promover melhorias específicas em áreas problemáticas na assistência.

Uma das metas diz respeito à redução do risco de infecção associado aos cuidados de saúde. A OMS estima que, entre 5% e 10% dos pacientes admitidos em hospitais, adquirem uma ou mais infecções e sugere, entre outras medidas preventivas, a higiene das mãos.

Desde de 2009, a OMS vem promovendo campanhas mundiais especificamente relacionadas a higienização das mãos. Campanhas com o propósito de conscientização dos profissionais de saúde quanto a importância dessa prática durante a assistência à saúde.

Infelizmente, tão substanciais quanto às evidências da importância da lavagem das mãos, são as evidências de que é baixa a aderência dos profissionais a esta prática .

Em 2012, a ANVISA publicou o Relatório sobre Auto Avaliação para Higiene das Mãos demonstrando, entre outros resultados que, 66% das instituições avaliadas não alcançam as suas metas anuais de melhoria à adesão à higiene das mãos.

Mudar o comportamento de adultos, não é uma tarefa fácil. Acredito que, para difundir esta prática de forma eficaz, teremos que conscientizar não só os profissionais de saúde, mas também as crianças (futuros profissionais).

Em casa, o meu filho de 5 anos é o membro da família que mais e melhor higieniza as mãos. Aos dois anos, assistiu um vídeo na escola sobre bactérias e desde então, lavar as mãos foi naturalmente se inserindo em sua rotina assim como outros comportamentos relacionados a sustentabilidade do planeta que dependem muito menos da nossa supervisão, que das convicções que estão se formando.

Investir em educação é uma solução necessária e com resultados a longo prazo. Por hora, precisaremos ser criativos, pacientes e incansáveis para continuar tentando mudar as condições em que os seres humanos funcionam.  O Hospital Vila da Serra se dedica incansavelmente, com o apoio do seu Time Ambiente, para mudar esta realidade.

E você? O que faz quando ninguém te vê fazendo?

Texto: Renata Macedo

Publicado originalmente em: http://segurancadocuidado.com | Disponível em: Portal Anvisa, Segurança do Paciente. *Consulta em 09/02/2013.

 

Leia também:
  • Dia Mundial Sem Tabaco

    A Organização Mundial de Saúde já realizou uma campanha com o tema Interferência da Indústria do Tabaco, com objetivo de expor e combater tentativas que são consideradas como ?descaradas e cada vez mais agressivas?, de minar os esforços no controle d...

  • Com o envelhecimento da população no Brasil cresce cada vez mais o uso da prótese de quadril

    Pessoas com idade acima de 60 anos que sofrem de osteoartrose são as principais candidatas ao uso da prótese de quadril, uma demanda crescente nos serviços de saúde do país em função do envelhecimento da população. A técnica consiste na substituição ...

  • Sexualidade feminina e qualidade de vida

    A sexualidade é uma condição que envolve toda a vida de uma pessoa. Inicia-se na infância, sendo construída na adolescência e manifestada diferentemente nas várias etapas da fase adulta.  A Organização Mundial de Saúde reconhece a sexualidade como ...

Compromisso e Qualidade

Certificação internacional

Vídeo Institucional

Veja nosso vídeo institucional

HVS no Facebook

Curta nossa página no facebook

Qualidade, confiabilidade e excelência tornam o Hospital Vila da Serra Acreditado Nível 3 ONA e Certificado Internacionalmente pelo Qmentum Internacional.

Selo Acreditado

Saiba mais sobre as certificações do
Hospital Vila da Serra.

Tratamento humanizado, aliado à dedicação e atenção aos seus pacientes fazem do Hospital Vila da Serra um centro de referência no atendimento à mulher, à criança e à toda a família.


Alameda Oscar Niemeyer, 499 - Bairro Vila da Serra
CEP 34006-056 - Nova Lima - MG - Tel.: (31) 3228-8100
2018 © Hospital Vila da Serra. Todos os direitos reservados.
Antônio Eugênio Motta Ferrari
Diretor Técnico
CRM MG12794
Desenvolvido por SPARTA INTERATIVA - Agência de Marketing 360