Porque os idosos sofrem mais com dores na coluna?

Data da publicação: 14/07/2017 Autor: hollo

Pessoas idosas, são as que com maior frequência reclamam de dores na coluna e estão sempre nas clínicas ortopédicas. Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde, 18,5% da população adulta do Brasil são acometidos por doenças crônicas da coluna, totalizando cerca de 27 milhões de pessoas. Todas as faixas etárias demonstram problemas de coluna, mais o maior número de indivíduos são àqueles da chamada terceira idade.

Para o ortopedista Marcos Antônio Ferreira, ortopedista especialista em coluna do Hospital Vila da Serra e diretor científico da Sociedade Brasileira de Coluna- Regional Minas “os idosos apresentam alterações fisiológicas como a diminuição da massa óssea, que pode levar a uma osteoporose, mais comum em mulheres, bem como também a degeneração óssea e fraqueza muscular. As queixas mais comuns de dores na coluna são dos indivíduos com osteoartrite, que apresentam importante rigidez nas articulações pela manhã e dificuldade de movimentação ao longo do dia, e a lombociatalgia, caracterizada por uma dor na região lombar irradiada para as nádegas e face posterior da coxa, podendo alcançar até o pé.”

Dr. Marcos Ferreira destaca que “na maturidade, os idosos podem desenvolver diabetes e, com esta, algumas dores relacionadas, como a neuropatia diabética, porém, esta é mais comum nos membros periféricos (mãos e pés).”

É importante lembrar que aqueles indivíduos que sofreram alguma lesão na vida adulta ou já apresentavam determinada patologia, podem aumentar as queixas de dor devido aos problemas degenerativos comuns na fase idosa, devendo esses conter e se possível tratar o quanto antes os problemas que levam as dores, prevenindo, assim, seu agravo futuramente.

Segundo Dr. Marcos, “o tratamento basicamente ainda é conservador, ou seja, com medidas não-cirúrgicas, sendo esta uma exceção. As boas práticas de postura, exercícios físicos regulares e controle dietético mostram-se bastante eficazes na prevenção das dores”. O profissional ainda alerta sobre algumas dicas importantes que podem ser observadas por todas as faixas etárias. São elas:

·         Redução de peso e atividade física regular – com atenção à postura e aos excessos;

·         Manter postura ao dormir, ao levantar, ao elevar peso e nas atividades da vida diária;

·          Quando for se deitar, mantenha-se em uma posição que não agrida as costas. Manter o corpo reto e barriga para cima. Um travesseiro embaixo dos joelhos pode ajudar na postura e dar conforto à posição. Se preferir dormir de lado, vire-se totalmente e acrescente um travesseiro entre as pernas, com os joelhos dobrados, e um travesseiro mantendo a altura dos ombros. Essa atitude aperfeiçoará a posição.

·         Ao levantar-se, caminhe pelo menos 30 minutos para impedir a volta de enrijecimento da lombar. Faça um alongamento das costas antes e ao se levantar, faça-o sempre virando para um dos lados da cama.

·         Evite elevar peso de maneira inadequada. O correto é sempre flexionar o quadril e os joelhos, permanecendo com a coluna ereta.

·         Deixe os objetos que utiliza com mais frequência em locais mais altos, de forma a evitar flexões repetidas da coluna ao se abaixar. A tela de computadores deve estar no nível do campo de visão, assim como livros, evitando flexão contínua do pescoço.

·         Evite ficar em más posições em sofás, na cama para ler livros ou ver TV. Na hora de calçar um sapato, faça isso sentado para evitar sobrecarga da coluna.

·         Evite fumar, pois o cigarro atinge a musculatura e a própria coluna lombar.

Receba Conteúdo exclusivo do Hospital Vila da Serra em seu e-mail.