Acesso Rápido

Procedimentos buscam garantir a segurança perioperatória

Segurança Perioperatória

Diante do crescente número de cirurgias realizadas anualmente em todo o mundo –  estudos desenvolvidos nos Estados Unidos em 2008 estimam que são feitos por ano 230 milhões de procedimentos, – a Organização Mundial de Saúde estabeleceu a segurança cirúrgica como prioridade em termos de saúde pública. O objetivo é salvaguardar o paciente durante o atendimento perioperatório, uma vez que o paciente cirúrgico faz parte do grupo de alto risco envolvendo eventos adversos durante a assistência médico-hospitalar. Pelos estudos americanos, cerca de 600 mil a 1,5 milhão de pessoas morrem devido a esses eventos adversos (erros).

A sala cirúrgica é um ambiente complexo, com vários fatores interagindo entre si, como a doença do paciente, o procedimento cirúrgico, os equipamentos, as equipes de diferentes níveis de conhecimento e formação e a possibilidade do erro humano. “Todas as etapas devem ser rigorosamente checadas para reforçar a segurança e evitar possíveis erros”, destaca o coordenador do serviço de Anestesiologia do Hospital Vila da Serra, Dr. Márcio Craveiro.

Segundo ele, reconhecer que os erros acontecem é o primeiro passo para que os serviços de saúde possam ter maior controle sobre os eventos adversos. Em seguida, é preciso criar um sistema de registro e análise dessas irregularidades, de forma a aumentar a segurança cirúrgica. “Agindo dessa forma, podemos conhecer melhor e corrigir as falhas do sistema de atendimento”, destaca.

Especificamente sobre a sua área, o médico ressalta que a anestesia não é indicada somente para a realização de cirurgias. “Prestamos também assistência a pacientes que se submetem a exames propedêuticos, curativos e àqueles que estão com dor crônica – no caso do paciente oncológico -, ou que são portadores de patologias crônicas incapacitantes”, informa. Nesse sentido, há um check-list padrão básico para todos os procedimentos. Nele, verifica-se o funcionamento de todos os equipamentos de anestesia, o material de ventilação, os aspiradores, os monitores, bem como as drogas necessárias para o ato anestésico. “Dependendo da complexidade do procedimento, agregamos outros itens, como as bombas de infusão de drogas e monitores mais específicos, que possuem rotina de segurança próprios”, acrescenta.

No caso do Vila da Serra, procura-se também avaliar, de forma individualizada, cada paciente, considerando suas condições clínicas, as patologias associadas – hipertensão arterial, diabetes, problemas tireoidianos, alergias, uso de drogas lícitas ou não, cirurgias prévias -, além de eventuais problemas familiares relacionados à cirurgia. O hospital ainda possui um atendimento ambulatorial pré-anestésico no qual o paciente passa por uma entrevista e uma avaliação clínica, seguida da análise de exames laboratoriais. “Somente então fazemos o planejamento anestésico, quando explicamos ao paciente o que será feito e obtemos dele seu consentimento formal. Assim, buscamos minimizar a possibilidade de intercorrências”, afirma Craveiro.

Para o coordenador, há uma analogia entre a anestesiologia e a aviação: ambas requerem atenção, acurácia, treinamento, tirocínio, rotinas e a capacidade de atuação em situações de crise. Devemos estar atentos sempre, uma vez que todos nós somos falíveis”, conclui.

Dr. Márcio Craveiro, chefe da clínica de anestesia do HVS.

Leia também:
  • Time Out Day

    A Revista Melhores Práticas publicou um artigo sobre a resistência das equipes na utilização do Check List Cirúrgico proposto pela OMS, por ocasião da campanha Cirurgias Seguras Salvam Vidas. O Autor considera que o desconhecimento das estatísticas...

  • Distúrbio do Quadril – Saiba mais sobre algumas doenças

    A articulação do quadril ? formada pela junção da cabeça femural com a bacia ? está sujeita a uma série de distúrbios e, consequentemente, dores no local ao invés de na articulação. As mais comuns são a Osteoartrose, a Osteonecrose, a Síndrome de Imp...

  • 08 de Março – Dia internacional da Mulher

    O Hospital Vila da Serra deseja a você Mulher, nossa fonte de inspiração, um Feliz dia das Mulheres! Parabéns.

Compromisso e Qualidade

Certificação internacional

Vídeo Institucional

Veja nosso vídeo institucional

HVS no Facebook

Curta nossa página no facebook

Qualidade, confiabilidade e excelência tornam o Hospital Vila da Serra Acreditado Nível 3 ONA e Certificado Internacionalmente pelo Qmentum Internacional.

Selo Acreditado

Saiba mais sobre as certificações do
Hospital Vila da Serra.

Tratamento humanizado, aliado à dedicação e atenção aos seus pacientes fazem do Hospital Vila da Serra um centro de referência no atendimento à mulher, à criança e à toda a família.


Alameda Oscar Niemeyer, 499 - Bairro Vila da Serra
CEP 34006-056 - Nova Lima - MG - Tel.: (31) 3228-8100
2017 © Hospital Vila da Serra. Todos os direitos reservados.
Antônio Eugênio Motta Ferrari
Diretor Técnico
CRM MG12794
Desenvolvido por SPARTA INTERATIVA - Agência de Marketing 360